fisioterapia

Quem nunca sentiu dores nos joelhos, levante a mão! Os problemas nessa articulação são queixas frequentes nos consultórios médicos. E uma das principais causas é a condromalacia patelar, que representa até 17% dos casos. Também chamada de síndrome femoropatelar, causa dor em movimentos que exigem um esforço maior dos joelhos, como subir ou descer escadas, levantar-se de uma cadeira ou agachar-se.

E se você acha que só as pessoas mais velhas têm problemas nos joelhos, saiba que a condromalacia patelar é muito mais comum em pessoas jovens e fisicamente ativas, com menos de 40 anos. Mas, claro que também atinge quem já passou dessa idade. O que muda são as causas. Portanto, ela pode afetar qualquer pessoa.

Segundo a fisioterapeuta Walkiria Brunetti, os esportes de alto impacto, como corridas, vôlei, basquete, futebol, jumping, ciclismo, entre outros, podem levar ao desenvolvimento da condromalacia patelar. “Podemos citar também como causas o excesso de peso (pois aumenta a carga articular); luxação; traumas na patela, no menisco ou no ligamento cruzado anterior; osteoartrite e joelhos valgos (em x – voltados para dentro). Como as mulheres têm uma maior tendência em ter joelhos valgos, a condromalacia é mais prevalente nelas”.

Além da dor, os pacientes costumam relatar crepitação, como se o joelho estalasse em certos movimentos. Os joelhos também podem ficar mais rígidos, restringindo algumas atividades. Raramente a dor aparece durante o repouso e, em alguns casos, o joelho pode inchar.

Por que tanta pressão?
A patela é o osso anterior do joelho e a cartilagem que a envolve serve para amortecer a pressão entre ela e o fêmur. Em alguns movimentos, a pressão pode chegar a até sete vezes o peso corporal da pessoa. Exemplo: se a pessoa pesa 60 kg, a pressão será de cerca de 420 kg. “Por isso, vários esportes estão envolvidos na origem da condromalacia, sendo muito comum em quem pratica corridas”, diz Walkiria.

Nem toda condromalacia é igual
Durante o diagnóstico, o médico irá definir qual o grau da condromalacia de acordo com o estado da cartilagem. No grau I há apenas amolecimento superficial. O grau II há comprometimento da camada superficial e da área um pouco abaixo. No grau III há acometimento de 50% da espessura da cartilagem e no grau IV, a lesão é total.

Fisioterapia é essencial para reabilitação
Na maioria dos casos, a fisioterapia e os medicamentos anti-inflamatórios e para dor costumam melhorar a condromalacia. “O primeiro objetivo é a melhora da dor. Isso pode ser feito por meio da crioterapia (compressas de gelo) e com a eletroterapia, como o TENS (Transcutaneous Electric Nerve Stimulation)”, explica Walkiria.

“Na reabilitação, iremos trabalhar com o objetivo de melhorar a biomecânica do joelho quando se faz a extensão, ou seja, fazer com que a patela corra em seu trilho sem desviar-se para o lado de fora, que é o que causa o desgaste e a dor na região anterior do joelho. Para isso, iremos alongar alguns grupos musculares anteriores e posteriores do joelho e fortalecer os grupos mediais, anteriores, principalmente o vasto medial e os posteriores”, diz a fisioterapeuta.

Walkiria explica que é importante também avaliar como o paciente posiciona o pé, como é o apoio plantar do paciente, pois em alguns casos o uso de uma palmilha irá melhorar muito a posição dos joelhos e isso contribui para amenizar o desgaste, fazendo com o que joelho tenha um melhor alinhamento. “Vale lembrar que essa palmilha é feita de acordo com a avaliação do apoio plantar do paciente, não é algo comprado pronto”.

Como recursos da fisioterapia, também podem ser usados a estimulação elétrica neuromuscular, para aumentar a ativação da musculatura. Outro método útil para melhorar a funcionalidade dos músculos é o kinesio taping, mais conhecida como bandagem elástica.

Walkiria lembra que durante a reabilitação é preciso suspender as atividades de alto impacto, assim como evitar subir e descer escadas, cruzar as pernas e agachar. “Após o término da fisioterapia, o ideal é continuar a praticar musculação ou atividades de fortalecimento muscular para os membros inferiores e quadris”.

 

Fonte: Clara Sangiorgio – Agência Health

24 de abril de 2018
Close-up Of A Man Wearing Knee Brace Over White Background

Condromalacia patelar: a doença mais democrática dos joelhos

Quem nunca sentiu dores nos joelhos, levante a mão! Os problemas nessa articulação são queixas frequentes nos consultórios médicos. E uma das principais causas é a […]
27 de fevereiro de 2018
3D male figure with close up of shoulder joint

Dor nos ombros atinge 20% da população e pode ser incapacitante

Se você já passou dos 40 anos e anda sentindo dores no ombro ou dificuldades para fazer movimentos, como pegar objetos em cima de um armário, […]
24 de agosto de 2017
happy old woman with thumb up closeup

Fisioterapeuta indica práticas e cuidados para envelhecer com saúde

Em um cenário em que a população idosa mundial cresce, é de extrema importância que os brasileiros conheçam as práticas capazes de garantir um envelhecimento saudável […]
18 de julho de 2017
Menopausa-e-Dores-nas-Articulações-Como-Lidar

Saiba como evitar as dores no corpo que aumentam durante o inverno

Fisioterapeuta explica quais são os tratamentos mais comuns e quais cuidados ajudam a evitar os incômodos   Durante o inverno é comum ver as pessoas cada […]