Destaques

Educador Físico do Grupo São Cristóvão Saúde dá dicas para não exagerar nos treinos

 

Os dias de frio intenso já ficaram para trás e as pessoas começam a retomar a prática de exercícios físicos com o intuito de chegar em forma para o verão. No entanto, é preciso tomar cuidado com a ânsia de alcançar rapidamente o físico perfeito e não respeitar os limites do corpo. “Principalmente para aquelas pessoas que apresentam algum fator de risco para saúde, deve-se consultar um médico antes de iniciar os treinos. Se possível, realizar atividades físicas sempre com a orientação de um profissional de Educação Física ou se nortear por recomendações médicas”, alerta Daniel Pinheiro, Educador Físico do Grupo São Cristóvão Saúde.

O profissional também reforça a necessidade de realizar aquecimento antes de qualquer exercício, preparando o corpo para que não ocorram lesões. “Após o aquecimento, o professor deve ajustar a intensidade de cada prática de acordo com o objetivo do aluno. No caso de aeróbicos, ajustar a velocidade da esteira e a corrida versus a inclinação. Já nos exercícios resistidos, equilibrar o percentual de peso versus as repetições a serem trabalhadas”, explica Daniel.

Quanto à frequência e duração dos exercícios, o educador físico orienta a realizar no mínimo três vezes por semana e no máximo cinco vezes com uma média de 30 a 90 minutos, dependendo da capacidade física. “Fique atento às respostas do corpo; controle a frequência cardíaca em valores considerados corretos para sua idade e objetivo; observe se sua respiração está ofegante, principalmente os iniciantes, pois isso significa que a intensidade do treino está exaustiva; sinta a resposta muscular durante e no pós-exercício. Se houver muito cansaço, é sinal de que a dosagem de atividades físicas está incorreta”, comenta. Ele ainda pede atenção ao se hidratar, recomendando sempre beber água, mesmo que não haja sudorese excessiva.

De acordo com Daniel, os riscos de exageros ao treinar são imensos. “Para mulheres, pode ocorrer amenorreia (corte da menstruação), o que gera uma série de problemas à saúde feminina. No caso dos homens, o risco de rompimento da musculatura aumenta, podendo afastá-lo das atividades e até deformar o músculo”. Os exercícios com pesos realizados acima da linha dos ombros são perigosos para a coluna. Agachamento, avanço com barra, afundo com barra, entre outros devem contar com uma preparação previa, além de profissional supervisionando.

A boa notícia é que é possível chegar com o corpo em dia e saudável no verão. O educador físico afirma que em 90 dias já se enxerga os resultados e que, a partir daí, é necessário manter a duração, intensidade e frequência da atividade física e associá-la a um bom programa de nutrição para otimizar o alcance dos objetivos. “Além dos benefícios externos, ainda há aumento do consumo de oxigênio, melhora das frações sanguíneas, controle da pressão arterial, controle dos valores glicêmicos, aumento da força e controle da densidade óssea. Também há controle hormonal, melhor digestão dos alimentos, e melhor transmissão neural e função cerebral, o que auxilia na qualidade do sono”, finaliza.

 

Fonte: Karina Paletta |máquinacohn&wolfe 

3 de agosto de 2017
5bbddfdfdc2376bb2e512a97610399f9

Como retomar os exercícios físicos sem riscos de lesões?

Educador Físico do Grupo São Cristóvão Saúde dá dicas para não exagerar nos treinos   Os dias de frio intenso já ficaram para trás e as pessoas […]
2 de agosto de 2017
Banner-Blog-Art-2

Medicina de Estilo do estilo de vida: Quando a prevenção faz diferença para o futuro

A nova modalidade incentiva a prevenção e cuidados frequentes com a saúde   A ideia de comer besteiras ao longo do dia, ou almoçar uma coxinha […]
2 de agosto de 2017
Tire-suas-dúvidas-sobre-a-vacina-contra-a-dengue

Estudo aponta que vacinação contra dengue pode reduzir os gastos do SUS em até R$4,7 bilhões¹

Análise publicada no Jornal Brasileiro de Economia mostra que a adoção de uma campanha pública de vacinação diminuiria os impactos sociais e financeiros da doença. Até […]
31 de julho de 2017
aedes-chikungnya

Infectologista explica diferenças entre Febre Chikungunya e a Dengue

Você sabe o que é a Febre Chikungunya? Facilmente confundida com a dengue por ter sintomas muito parecidos, a doença é causada por um Arbovirus e […]