Destaques

Especialista revela 3 dicas para evitar o problema

 

Tem gente capaz de jurar que a dor provocada por pedras nos rins é pior do que as contrações do parto. Seja como for, trata-se de uma situação difícil de enfrentar e que é melhor prevenir. De acordo com o médico urologista Arnaldo Cividanes, diretor técnico do Hospital SAHA – especializado em cirurgias eletivas e procedimentos minimamente invasivos – o que causa uma dor de forte intensidade é justamente a passagem desses depósitos pelo ureter, canal que transporta a urina do rim à bexiga. “Geralmente, esses cálculos se formam quando a urina está muito concentrada, promovendo a cristalização de minerais e sais. Em casos mais simples, prescrevemos medicamento para controle de dor e orientamos o paciente a beber bastante água até que possa expelir a pedra. Mas há casos em que o cálculo obstrui o canal urinário, podendo causar infecção e outras complicações. Quando isso acontece, o único tratamento é o cirúrgico”.

 

Cividanes diz que a prevenção de ‘pedra nos rins’ passa por uma mudança no estilo de vida e destaca três dicas importantes:

 

  1. Beber bastante água ao longo do dia, todos os dias. “Principalmente quem já tem histórico de pedras nos rins deve levar essa recomendação a sério, ingerindo diariamente pelo menos um copo americano de água a cada três horas. Vale ressaltar que não estamos indicando apenas a ingestão de líquidos, mas de água. Ingerir dois litros de refrigerante por dia, por exemplo, não só não resolveria o problema como causaria outros tantos à saúde no médio e longo prazos. O ideal é prestar atenção na coloração da urina – que precisa estar bastante clara e limpa”.

 

  1. Reduzir a ingestão de carne vermelha e sal. “De modo geral, os adultos não precisam ingerir mais de duas ou três porções de carne magra ao longo da semana. O ideal é começar a substituir carne vermelha por branca e, na sequência, substituir a carne branca por mais legumes e verduras. A quantidade de sal, no preparo dos alimentos, também deve ser reduzida – lembrando que comidas prontas e industrializadas contêm uma quantidade de sal e outras substâncias conservantes que podem prejudicar o bom funcionamento dos rins”.

 

  1. Evitar alimentos ricos em oxalato de cálcio. “Embora sejam aparentemente saudáveis, alguns alimentos contêm grande quantidade de oxalato de cálcio, que facilita a formação de cálculos renais. Sendo assim, é bom reduzir o consumo de espinafre, beterraba, batata doce, salsinha, pimenta, nozes e amendoim. Também o cacau em pó e, por extensão, os achocolatados e chocolates devem ser evitados”.

O urologista recomenda buscar ajuda médica em caso de: dor intensa nas costas ou na lateral do corpo; dor que irradia para o abdome inferior e virilha; dor que surge em ondas e varia de intensidade; dor ao urinar; urina de coloração rosa, avermelhada ou marrom; urina com cheiro forte e persistente; sensação de urgência para urinar; urinar com frequência mais alta do que o normal; urinar em pequenas quantidades. Ainda pode haver náuseas, vômitos, febre e calafrios juntamente com os sintomas citados. “Antes de dar início ao tratamento, o especialista deverá requisitar exame de sangue, de urina, e, inclusive, exames de imagem (ultrassom e tomografia) para diagnosticar a presença de cálculo renal no trato urinário. Dados clínicos e resultados de exames indicarão a necessidade ou não de um tratamento cirúrgico. Vale ressaltar que é bastante comum encaminhar o cálculo expelido para análise”.

 

Cividanes diz que a formação de cálculos urinários se deve a múltiplos fatores: metabólicos, genético-familiares e ambientais, entre outros, sendo que nem sempre a investigação laboratorial existente obtém sucesso na prevenção ou diminuição do aparecimento de novos cálculos.

 

Fonte: Dr. Arnaldo Cividanes, diretor técnico do Hospital SAHA – especializado em cirurgias eletivas e procedimentos minimamente invasivos. www.hospitalsaha.com.br

 

Mais sobre o Hospital SAHA

 

O SAHA (palavra que significa saúde em árabe) nasceu em novembro de 2004 já com a vocação de ser um dos melhores centros de excelência do Brasil em cirurgias minimamente invasivas. Com direção executiva de May Ganme Cividanes e direção técnica do médico Arnaldo Cividanes, o hospital ocupa seis andares do edifício Central Towers, na Bela Vista (Rua Maestro Cardim, 407), conta com UTI, modernos aparelhos de anestesia, videocirurgia e toda infraestrutura planejada para proporcionar segurança e conforto a pacientes e visitantes.

 

Grandes especialistas costumam preferir o Hospital SAHA para procedimentos cirúrgicos de pequeno porte, já que podem contar com um corpo de enfermagem altamente comprometido com a qualidade do serviço prestado, em um ambiente com muito menos riscos de complicações e infecções.

 

O Hospital SAHA é referência em cirurgia ortopédica (cirurgias vídeo-assistidas de joelho e ombro/artroscopias); ginecológica (laparoscopia, histerectomia e histeroscopia); gástrica (cirurgia bariátrica, colecistectomias e hérnias); plástica (estética e reparadora); urológica; oftalmológica e vascular.

 

 

Enviado por: 

HELOÍSA PAIVA – DIRETORA DE REDAÇÃO

PRESS PÁGINA PROJETOS DE COMUNICAÇÃO

28 de agosto de 2017
2-48

Pedra nos rins: para evitar essa dor, prevenção é palavra de ordem

Especialista revela 3 dicas para evitar o problema   Tem gente capaz de jurar que a dor provocada por pedras nos rins é pior do que as contrações […]
28 de agosto de 2017
IMG_0981biomedicina

Atividade prática do curso de Biomedicina leva saúde à comunidade de Jequié

A comunidade do bairro Brasil Novo em Jequié foi contemplada por uma importante ação social de saúde pública. Estudantes do curso de Biomedicina da FTC distribuíram […]
24 de agosto de 2017
Campus Party - Alunos do Curso Gestão de Midia do IAT (1)

Secretaria da Educação do Estado promove concurso de vídeo sobre Educação para a Saúde

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia está com inscrições abertas até o dia 4 de setembro para o 3º Concurso de Vídeo Educativo – […]
24 de agosto de 2017
IMG_0817

Direito do trabalhador doméstico é tema de debate no Colégio Dom Jequié

Com o objetivo de promover uma análise crítica da implementação da Emenda Constitucional 72 no cenário Nacional e compreender a complexidade presente nas relações afetivas e […]