Como o estilo de vida interfere na fertilidade do casal

incontinencia-urinaria-1
Como lidar com a incontinência urinária?
14 de setembro de 2017
IMG_9746materia
Software desenvolvido pela SWS Sistemas auxilia na fluidez dos negócios em diversos ramos de atividade
14 de setembro de 2017

Como o estilo de vida interfere na fertilidade do casal

couple with guitar

Drogas, obesidade e cigarro podem interferir nas taxas de gestação

 

Apesar de a infertilidade ser, muitas vezes, de causa indeterminada, pesquisadores sugerem que certos fatores ligados ao estilo de vida podem fazer a diferença na hora de engravidar.

De acordo com Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis, estatisticamente, a infertilidade decorre em 30% dos casos de fatores masculinos, 30% de fatores femininos, 30% em ambos e 10% sem causa aparente. “A principal causa de infertilidade masculina é desconhecida (chamada de idiopática). Porém, destaca-se a varicocele, doença que provoca um defeito valvular nos vasos sanguíneos que envolvem os testículos. A mulher tem como principais causas de infertilidade a endometriose, alterações tubárias, distúrbios da ovulação, destacando a síndrome dos ovários policísticos e alterações uterinas”.

Sabe-se que fatores genéticos também possuem relação com a infertilidade. Porém, segundo o especialista, há um conceito denominado epigenética, que representa a interferência do meio ambiente na expressão dos genes. Assim, o estilo de vida poderia impactar seriamente nas chances de conceber. Abaixo, o especialista lista os fatores ambientais que estão diretamente ligados à infertilidade.

Obesidade – O peso acima do ideal interfere no ciclo hormonal da mulher e é um fator prejudicial à fertilidade, pois a gordura corporal em excesso, principalmente à abdominal, produz uma maior quantidade de estrógeno que interfere no ciclo reprodutivo. Nos homens, o excesso de peso reduz o nível de testosterona, o que compromete a produção seminal.

Tabagismo – Fumar é um perigo à fertilidade feminina, pois associa-se ao envelhecimento prematuro do sistema reprodutivo, o que interfere no desenvolvimento embrionário e, consequentemente, reduz a taxa de gravidez. Já o tabagismo masculino está associado à redução na qualidade do sêmen, incluindo concentração de espermatozoides, morfologia e efeito potencial na função espermática, além das alterações nos níveis hormonais.

Álcool – Nos homens, o álcool reduz os níveis de testosterona, bem como a qualidade e a quantidade do espermatozoide. Isso acontece porque as células produtoras de testosterona atrofiam e há uma diminuição dos hormônios masculinos. Além disso, pode afetar o desejo sexual e levar o indivíduo à impotência por prejudicar à ereção. Já nas mulheres, o álcool pode dificultar a produção hormonal feminina, alterar a libido e interferir na ovulação ou na qualidade dos gametas.

Drogas e anabolizantes – Se usadas por tempo prolongado, as drogas podem resultar em disfunção ovulatória e, consequentemente, irregularidade menstrual. Nos homens, reduz a libido e aumenta o número de espermatozoides defeituosos. Além da disfunção erétil e da atrofia dos testículos, pode ocorrer a diminuição da produção de sêmen. Nas mulheres, além de ganhar traços masculinos, pode interferir na ovulação.

Sobre a Criogênesis

A Criogênesis, que nasceu em São Paulo e possui mais de 14 anos de experiência com células-tronco, é acreditada pela AABB (Associação Norte Americana de Bancos de Sangue) e certificada pela IQNet NBR ISO 9001:2015. A clínica é referência em serviços de coleta e criopreservação de células-tronco, medicina reprodutiva, gel de plaquetas e aférese, incluindo a diferenciada técnica de fotoférese extracorpórea. Sua missão é estimular o desenvolvimento da biotecnologia através de pesquisas, assegurando uma reserva celular para tratamento genético futuro. www.criogenesis.com.br

 

Fonte: Aline  Boueri – Dezoito Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *